Mercado de engenhos

Mercado de engenhos

Alexandre Faria

ISBN 978-85-65375-64-1

1ª edição, 2022

Formato:

Brochura com orelha 12x18 cm

138 páginas.

R$ 45,00 - frete para o Brasil incluso.

Sinopse

Este é um livro de poesias que contém um ensaio, intitulado “Vida suspensa”. A obra, como um todo, encerra uma reflexão sobre como o corpo que respira, dissolve-se e esgota-se no fluxo das mercadorias. Trata-se dos corpos de imigrantes, negros, mulheres, LGBTTQIA+, indígenas e de todos os que ameaçam o projeto branco e neoliberal pela simples manifestação da sua alteridade.

É possível que o título Mercado de engenhos leve o leitor a pensar nos engenhos de cana da época do Brasil colônia. Não estamos muito longe disso. Por trás do projeto colonial, expansionista, capitalista, há também máquinas de moer corpos, com a exploração, a escravização e o extermínio de outros povos. Mas esse livro reflete também a criatividade, a engenhosidade humana (inclusive a artística) que pode ser usada para tornar mercantilizável o nosso corpo, a nossa forma de estar no mundo.

Transformamos em mercadoria tanto as pinturas de natureza-morta (em que há a exposição de um corpo vivo, flores, frutas, carnes, que acabam apodrecendo se a exposição for muito demorada), quanto técnicas de meditação (que consistem em voltar-se absoluta e unicamente para o corpo, a matéria que nos coloca no aqui e agora, num processo de esvaziamento de mente, das ideias e dos pensamentos).

Essas e outras reflexões estão no livro de Alexandre Faria. que culmina na apresentação de um corpo erótico, sonoro, dançante, saída possível, transgressora, libertária e resposta inquietante às crises do mundo contemporâneo.