I

I

Alexandre Faria

ISBN - 978-85-65375-36-8

1ª edição, 2015

Formato:

Brochura com orelha 12x18 cm

80 páginas

R$30,00 - frete para o Brasil incluso

Sinopse:

I, assim mesmo, como a terceira vogal, ou como o primeiro número romano, ou o pronome de primeira pessoa em inglês, é o título deste livro de Alexandre Faria. Esse título, além de poder ter as leituras acima indicadas, alinha-se com o I, do clássico chinês I Ching. O termo, em chinês, traduz-se como mudança, transformação, mutação. É esse o princípio que norteia a organização do livro. São 8 unidades, de 3 versos cada uma, que, combinadas entre si, resultam em 64 unidades de 6 versos. O autor prefere não considerar a obra como um livro de poemas, mas um “objeto de arte verbal”, cujo processo de construção desse, além da inspiração no I Ching deve muito ao OULIPO, projeto literário criado naFrança na década de 1960. Em francês OULIPO é a sigla de Ouvroir de Littérature Potential, algo que poderia ser traduzido como Oficina de Literatura Potencial (literalmente, ouvroir é sala de costura). A literatura

potencial consiste basicamente em

criar regras objetivas que os autores

devem seguir para a construção de

seus textos. No caso de I, as regras de

um dos sistemas combinatórios do I

Ching potencializaram um conjunto de

outras amarras fonéticas e

morfossintáticas que orientou a

produção do texto.

O livro ainda possui uma estrutura

material que permite iniciar a leitura

indiferentemente pela primeira ou pela

quarta capas. E apresenta dois textos

diferentes nas orelhas. Segundo o

autor a “orelha yin e a yang”. Numa

delas, severas críticas são feitas ao

projeto; na outra há uma leitura mais

construtiva da obra.